Avanço da delta ameaça planos de Réveillon e Carnaval em 2022

01 Agosto 2021

Enquanto o índice de vacinados contra a covid-19 no Brasil ainda caminha para os 20%, prefeitos como Eduardo Paes (PSD), do Rio, e Ricardo Nunes (MDB), de São Paulo, já anunciam a possibilidade de festas de Réveillon e Carnaval em 2022. Também de olho na vacinação, os maiores carnavais do Nordeste já se preparam para a folia com eventos-teste.

Especialistas afirmam contudo que apenas o avanço da vacinação não basta para a realização de eventos de massa. Entre os principais motivos para a cautela, está a variante delta, que acende um alerta para os planos de volta à normalidade nos próximos meses.

Cientistas brasileiros dizem que cogitar eventos com aglomerações gera uma falsa sensação de segurança. Para eles, ainda não é possível prever quando as festas serão permitidas.

Como a variante Delta espalhou ultrarrápido

25 Julho 2021

Desde que apareceu pela primeira vez na Índia no final de 2020, a variante Delta do SARS-CoV-2 tornou-se a cepa predominante em grande parte do mundo. Os pesquisadores podem agora saber por que a Delta tem sido tão bem sucedida: as pessoas infectadas com ele produzem muito mais vírus do que as infectadas com a versão original do SARS-CoV-2, tornando muito fácil de se espalhar.

De acordo com as estimativas atuais, a variante Delta poderia ser mais do que duas vezes mais transmissível do que a cepa original de SARS-CoV-2. Para descobrir o porquê, o epidemiologista Jing Lu, do Centro Provincial de Controle e Prevenção de Doenças de Guangdong, em Guangzhou, China, e seus colegas rastrearam 62 pessoas que foram colocadas em quarentena após a exposição ao COVID-19 e que foram algumas das primeiras pessoas na China continental a serem infectadas pela cepa Delta.

Um peso argentino só compra uma balinha e está valendo pouco mais de 3 centavos de real

23 Julho 2021

O grupo alimentar Arcor, o maior da Argentina, envolve suas balas Mini com uma frase: “Ideais para o troco”. Já é muito frequente que, em vez de moedas quase sem valor nem circulação, o consumidor receba o troco em notas e balas. Um peso, a divisa do país, vale pela cotação das ruas pouco mais de 3 centavos de real. Quase nada. Com uma inflação que subiu para 3,3% em maio e acumula 21,5% desde janeiro, o peso continua se desvalorizando.

O Ministério da Economia e o Banco Central fazem todos os esforços possíveis para “achatar” o dólar, ou seja, conter sua alta frente ao peso. O plano consiste em evitar novas desvalorizações bruscas da moeda argentina pelo menos até novembro, quando estão previstas as eleições gerais. A partir daí se abre um cenário desconhecido: será preciso finalmente negociar seriamente a dívida com o Fundo Monetário Internacional, aplicar algum tipo de ajuste orçamentário e, muito provavelmente, permitir que o peso deslize para a sua enésima desvalorização, refletindo a inflação acumulada.

O UFC 264 foi pra conta!

12 Julho 2021

O UFC 264 foi pra conta! Ao todo, 12 duelos marcaram o card do último sábado (10), com Dustin Poirier saindo com a vitória na trilogia contra Conor McGregor. O ex-campeão interino também conquistou marcas importantes no Octógono, em Las Vegas.

Poirier agora é o 6º lutador na história do UFC a conectar mais de 1.500 golpes significativos. Ele tem, exatamente, 1.527. Ele se junta a Max Holloway, Donald Cerrone, Joanna Jedrzejczyk, Frankie Edgar e Michael Bisping.

Confira o que disseram Dustin Poirier e Conor McGregor após o desfecho da luta principal do UFC 264, que teve vitória do "Diamante" por nocaute técnico.

Poirier também se tornou o 8º lutador na nhistória do UFC a conquistar 20 vitórias no Octógono e passou Edson Barboza e Melvin Guillard como o maior nocauteador na história do peso leve, com oito.

Cuba vive maiores protestos contra o Governo desde os anos noventa

12 Julho 2021

As ruas de Havana e várias cidades de Cuba enfrentaram as maiores manifestações contra o Governo desde o maleconazo de 1994, os protestos massivos na capital cubana que marcaram a década de noventa. Mais uma vez, o estopim para a manifestação deste domingo ―em que participaram milhares de pessoas em todo o país e que resultou em centenas de detidos―, foi a grave escassez e miséria sofrida pelos habitantes da ilha, agravadas pelos efeitos da pandemia de covid-19. Gritos de “liberdade” e “abaixo a ditadura” puderam ser ouvidos na Havana Velha, coração da capital do país, e em outras partes de Cuba, amplificados pelas redes sociais, que nos últimos meses têm abalado o cenário político cubano.

Segundo depoimentos de jornalistas locais, vídeos e imagens difundidas nas redes sociais, centenas de cubanos saíram às ruas neste domingo por volta do meio-dia gritando “Liberdade, liberdade” e “Abaixo a ditadura” nos dois municípios, e rapidamente circulou o rumor de que outras cidades do interior do país começavam a aderir ao protesto.

F*da-se Foucault

06 Julho 2021

Durante os anos 1980 e 1990, a abordagem mais tradicional dos “Estudos Gays e Lésbicos” foi substituída por uma disciplina mais formal de “Teoria Queer” ou “Estudos Queer”, na qual o modelo construcionista social se tornou o paradigma hegemônico da investigação dos assuntos homossexuais. O que costumava ser uma meta simples de descobrir um passado homossexual foi marginalizado, e o cisma entre as abordagens tradicional e radical se aprofundou. Como David Robinson aponta em seu livro Closeted Writing,(1)D. M. Robinson, Closeted Writing and Lesbian and Gay Literature: Classical, Early Modern, Eighteenth-Century, Ashgate Publishing, 2006. “os acadêmicos publicados pela Routledge, Duke, Zone… raramente citavam aqueles publicados por Haworth/Harrington Park, Cassell ou Journal of the History of Sexuality”. 

Presidente argentino diz que brasileiros saíram da selva e seus compatriotas vieram de barco da Europa

10 Junho 2021

O presidente argentino cometeu ainda um erro ao atribuir ao escritor, Prêmio Nobel da Literatura e diplomata mexicano Octavio Paz a frase que o inspirou. A Paz é atribuído o seguinte comentário: "Os mexicanos são descendentes de aztecas, os peruanos dos incas e os argentinos dos barcos".

No entanto, esclareceram meios de comunicação locais e confirmaram fontes do governo argentino, a frase dita pelo chefe de Estado vem literalmente de uma música do cantor argentino Litto Nebbia, de quem o presidente é fã declarado e que teria se inspirado no comentário de Octavio Paz. A música se chama "Llegamos de los barcos" e diz exatamente o que foi expressado por Fernández: "Os brasileiros saem da selva, os mexicanos dos índios e nós, os argentinos, chegamos nos barcos".